Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
09/03/2020 - 13:45

        O Sistema Agroflorestal do município de Tomé-Açu (Safta), localizado na região de integração do Capim, atraiu a atenção de uma comitiva de empresários franceses que se interessou em conhecer como funciona o plantio consorciado do cacau, do cupuaçu, da pimenta-do-reino e do açaí. A visita ocorreu na última quinta-feira(5) e foi resultado de uma articulação feita pelo Governo do Estado, através da  Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário (Sedap), Codec, Sedeme e Sedopem parceria com as Federações das Indústrias.

 

 O secretário-adjunto da Sedap, Lucas Vieira, que acompanhou a comitiva desde a sua chegada em Belém na quarta-feira (4), disse que o interesse, em especial pela amêndoa do cacau produzida em Tomé-Açu, é consequência de uma reunião de iniciativa do Governo do Estado, através da Sedap, junto à Embaixada no Brasil na França, durante a visita da comitiva paraense ao Salão do Chocolate (Salon Du Chocolat), realizado em Paris, em novembro do ano passado. Vieira explicou que os franceses ficaram bastante interessados na maneira como os produtores do município conseguem trabalhar de maneira consorciada. “Cada vez mais, a nossa amêndoa produzida em Tomé-Açu vem melhorando, é de excelência. Aqui eles conheceram não só como é feita a sua produção como também viram como funciona a Safta. É interessante esse acompanhamento de perto, pois lá na Europa eles poderão repassar que o Pará produz a amêndoa sem desmatar. Ao contrário. Como o cacau é nativo da Amazônia, está sendo feito o reflorestamento de áreas degradadas com as próprias mudas do fruto”, observou.

 

 Durante a visita à fábrica da Cooperativa Mista de Tomé-Açu (Camta), a comitiva conheceu como é feita a produção da amêndoa. Uma das etapas que chamaram atenção dos europeus foi a fermentação na barcaça. Ouviram dos técnicos que em cada uma delas são fermentadas 350 quilos do produto de maneira uniforme. Na época da safra, num intervalo entre cinco a sete dias, é feita a colheita, que é o tempo necessário da fermentação e da secagem.

 

 O presidente da Cooperativa, Alberto Oppata, disse que a visita era vista pelos cooperados como muito oportuna, pois eles puderam mostrar a seriedade e qualidade do trabalho desenvolvido ali. “O Governo do Estado está de parabéns pela iniciativa de viabilizar a vinda dessa comitiva. Isso é muito bom para os nossos cooperados e para o nosso município, pois a comitiva conheceu de perto nosso sistema consorciado”.

 

 A presidente da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira(Ceplac), Maria Goretti Gomes, também acompanhou a programação em Tomé-Açu e ressaltou a importância de iniciativas como essa do governo estadual em dar visibilidade no exterior aos produtos paraenses.

 

Texto: Rose Barbosa

Fotos: Mateus Costa