Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
30/08/2019 - 11:45

 

 

Após a promulgação do Selo Arte, pelo governo federal, que permite a venda interestadual de produtos artesanais de origem animal, gestores da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) receberam nesta quinta-feira (29) representantes de instituições parceiras para conversar sobre as demandas do setor produtivo e criar um ambiente favorável aos negócios.

 

Luís Pinto, superintendente Federal de Agricultura no Pará, contou que no Estado o queijo é o único produto regulamentado envolvido na discussão do Selo Arte, mas ele acredita que outros produtos possam conquistar o selo artesanal. “O Pará tem o melhor queijo, que é do Marajó. Queremos agregação de valor de mercado. O queijo não podia sair do Marajó, e é importante que o produto verticalize”, informou.

 

O Selo Arte visa à simplificação, dividindo o controle da regulamentação entre o Ministério da Agricultura e a Sedap. Para os consumidores, será uma garantia de qualidade, com a segurança de que a produção é artesanal e respeita as boas práticas agropecuárias e sanitárias.

 

A Sedap ficou responsável pela coordenação, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) pela fiscalização e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) com a extensão da segurança alimentar.

 

Texto: Camila Botelho
Fotos: Mateus Costa