Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
09/03/2018 - 08:45

Um dos ingredientes base da alimentação e da culinária paraense será tema do XVII Congresso Brasileiro de Mandioca e do II Congresso Latino-americano e Caribenho de Mandioca, que acontecem paralelamente em Belém, no período de 12 a 16 de março. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), é um dos realizadores dos eventos.
Essa é a primeira vez que a capital paraense recebe os respectivos congressos. Os eventos dão destaque ao capital econômico, cultural e gastronômico da mandioca e seus subprodutos. Ao mesmo tempo, constituem o principal fórum de integração dos agentes da cadeia produtiva da mandioca, representados por instituições de ensino, pesquisa, fomento, assistência técnica e extensão, defesa vegetal, produtores agrícolas e setor empresarial. São também fortes oportunidades para apresentação de inovações geradas no setor de máquinas e equipamentos, bem como para levantamento e prospecção de novas demandas de interesse.
Um dos especialistas que virão a Belém é o sociólogo paulistano Carlos Alberto Dória, um dos maiores estudiosos da culinária brasileira. Ele vai abordar “A superioridade civilizacional da mandioca frente ao trigo europeu”. Para o pesquisador, a planta é o sustentáculo da alimentação na Amazônia, herança deixada pelos índios, domesticada e até mesmo aglutinada pelas elites na época da colonização. Esse consumo tem origem cultural. “É uma região que prefere comer mandioca a arroz ou milho, diferente do Sul e Sudeste, por exemplo. Por isso, também o uso é tão múltiplo. Da mandioca, na Amazônia, tudo se aproveita”, afirma Carlos Alberto Dória, destacando o tucupi preto como um dos melhores molhos do Brasil.
Para o secretário adjunto da Sedap, Afif Jawabri é bastante oportuna à vinda dos eventos ao Estado. “Os debates vão apresentar as últimas novidades no cultivo e no processamento de mandioca. É a oportunidade de qualificar técnicos e apresentar ao produtor paraense o que há de mais atual em termos de tecnologias e pesquisas, além de evidenciar a sociedade a importância dessa cultura no Estado. Na ocasião, também vamos discutir a criação de uma política específica para o setor, com a participação de diversos órgãos parceiros”, diz o secretário.
Serviço O XVII Congresso Brasileiro de Mandioca e o II Congresso Latino-Americano e Caribenho de Mandioca serão realizados de 12 a 16 de março, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. Mais informações, programação e inscrições aqui. http://cbmandioca2018.com.br/br/node/1143