Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
24/11/2021 - 08:30

 

Texto: Rose Barbosa / Ascom Sedap

Fotos: Mateus Costa / Ascom Sedap

 

O cacau cultivado na região da Transamazônica foi o grande destaque na noite desta segunda-feira (22), em Ilhéus, na Bahia, durante a final do III Concurso Nacional de Qualidade de Cacau Especial do Brasil – Sustentabilidade e Qualidade. Quatro produtores receberam o título de melhor cacau do Brasil na categoria blend(mistura): em 1º lugar ficou Robson Brogni, em segunda colocação a produtora Hélia Moura – ambos de Medicilândia e o terceiro lugar João Rios, de Novo Repartimento e José Renato Preuss, de Brasil Novo – que empataram na competição.

 

 

Também receberam menções especiais, durante a solenidade realizada no Resort Cana Brava, o agricultor João Evangelista, que recebeu uma placa em homenagem a sua indicação ao Cocoa of Excellence - premiação que ocorrerá em dezembro, em Paris, na França e a qual o produtor está concorrendo entre as 50 melhores do mundo - e o agricultor Francisco Cruz, que recebeu um certificado em reconhecimento à conquista obtida em outubro deste ano.  O chocolate artesanal feito com a amêndoa de cacau produzida por ele,  ganhou o primeiro lugar no Prêmio CNA Brasil Artesanal 2021/ Chocolate. Os dois produtores são do assentamento Tuerê, em Novo Repartimento. 

 

Na categoria “varietal”, os dois primeiros lugares ficaram com os produtores da Bahia: Vale do Juliana Fruticultura Ltda. (2º) e Cláudia Calmon de Sá (1º). A terceira colocação foi do agricultor de Rondônia, Mauro César Tauffer.

 

O Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), foi um dos patrocinadores da programação, realizada pelo Comitê Nacional de Qualidade de Cacau Especial e organizado pelo CIC e pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

 

 

O coordenador do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Cacauicultura (Procacau), Ivaldo Santana, que representou a Sedap durante a solenidade, foi um dos convidados  para fazer a entrega do prêmio ao primeiro lugar da categoria blend. O produtor premiado, que não pôde comparecer ao evento, foi representado por Hélia Moura, que no seu pronunciamento, agradeceu à equipe de trabalho e à cooperativa dos produtores de Medicilândia pelo apoio. “Não é fácil; é um trabalho árduo. Agradecemos nossa cooperativa pelo reconhecimento; agradecemos também pela parceria com o Governo do Estado, através da Sedap, por nos oferecer essa oportunidade de estarmos aqui”, ressaltou a produtora.

 

Incentivo - Para Ivaldo Santana, o evento é importante para a melhoria da qualidade do cacau do Brasil, em especial do Pará, pois o produtor acaba sendo incentivado para produzir a melhor amêndoa possível, que passa pelo crivo dos mais renomados especialistas do país. “O produtor sabe que pode concorrer e ser premiado; ele vem com aquela expectativa de concorrer e vencer o concurso. Durante o ano, eles procuram trabalhar melhor a qualidade da sua amêndoa, fazendo aquele processo primário de beneficiamento com qualidade, buscando não só competir para vencer o concurso, mas buscando trabalhar as suas amêndoas, assim elas alcançam preços muito melhores no mercado nacional e até internacional”, avaliou Santana.

 

 

O produtor José Renato Preuss, de Brasil Novo, disse que a premiação é muito importante para dar um impulso para o trabalho que o produtor realiza. “A gente vem se capacitando sempre para ter cada vez mais uma amêndoa de qualidade; Estamos  muito gratificados de estarmos aqui”, ressaltou o produtor.

 

Outro premiado no concurso, João Rios, de Novo Repartimento, observou que a lida do dia a dia é intensa, mas gratificante. “Não é fácil. Temos uma peleja todos os dias. Mas, nós só temos a agradecer o incentivo que nos é dado por entidades como a Fundação Solidaridad e pelos outros órgãos que nos incentivam a ter cada vez mais uma amêndoa de qualidade”, destaca o agricultor.

 

 

Confira a listagem com os nomes dos vencedores

 

Categoria Blend

1° lugar - Robson Brogni de Medicilândia- Pará

2º lugar – Hélia Moura de Medicilândia – Pará

3° lugar – João Rios de Novo Repartimento – Pará e José Renato Preuss – de Brasil Novo – Pará

 

Categoria Varietal

1° lugar – Cláudia Calmon de Sá- Bahia

2º lugar - Vale do Juliana Fruticultura Ltda – Bahia

3º lugar – Mauro Cesar Tauffer - Rondônia.