Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
11/10/2022 - 10:45

 

Texto: Rose Barbosa - Ascom Sedap

Fotos: Leandro Reis e Mateus Costa - Ascom Sedap

 

 

Desde a abertura, na última quinta-feira (22) até o encerramento, no domingo (25), mais de 25 mil pessoas passaram pelo no VII Festival do Chocolate e Cacau, Flor Pará, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e parceiros, e puderam conhecer de perto toda a cadeia produtiva do cacau, flores e joias paraenses, que incluiu produtores artesanais, cooperados, fabricantes de chocolate fino, designers e floricultores. Somente a rodada de negócios gerou mais de R$ 10 milhões no comércio de amêndoas de cacau realizado no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém.

 

 

 Marcos Lessa, organizador dos maiores eventos de cacau, agradeceu ao expositor, ao produtor e ao público que circulava pelos stands, salientou também a importância desses dias.

"Tiveram mais de 50 palestras, cozinha show, cozinha kids, cursos. Um evento completo de um dos países que mais produz cacau no mundo", avalia.

 

Dulcimar Melo, coordenadora do Procacau, na Sedap, agradeceu a todos que participaram e principalmente aos produtores, indispensáveis para a realização do evento.

 

 

Entre os vários stands disponíveis para visitação, chamou a atenção do público um que reunia esculturas feitas com 100% chocolate. A “senhora dama do cacau” com 80kg de chocolate amargo e 1,20cm de altura, e a imagem de Nossa Senhora de Nazaré com 98kg e 1,40cm de altura. A imagem atraiu uma fila de visitantes dispostos a conseguir uma boa foto. “Eu fiquei encantada com essa criatividade”, contou a estudante Fernanda Pereira. “Nunca imaginaria uma escultura tão cheia de detalhes ficar tão bonita usando só chocolate", completou.

 

Para o produtor de cacau do Tuerê, João Rios, participando pela terceira vez do evento, a presença na feira gera grande expectativa de venda e é uma forma de divulgação do trabalho. "As vendas estão ótimas, é um dos melhores momentos".

 

No segmento das flores havia o terrário 3D, flores de várias espécies, bonsais que fizeram a alegria do público que se encantava pela qualidade e diversidade de flores apresentadas no festival. Além de cursos sobre como aproveitar as Panc`s, as plantas alimentícias não-convencionais, que chamaram a atenção do público por serem consideradas  ervas daninhas, mas por falta de mais conhecimento da população, em geral, poderiam aumentar a renda e ser um alimento rico em vitaminas e também barato, como a flor da Clitoria que faz rende pratos. A diretora de agricultura familiar, Antônia Aleixo, destacou o papel da Sedap e a importância desses alimentos.

 

"As panc's ajudam a fomentar essas famílias o desenvolvimento desses quintais urbanos com os produtos que nós começamos nos quintais e com aproveitamento integral dos alimentos", explica.

 

No final do evento houve a premiação de 34 amostras de chocolate em diferentes categorias. O júri de especialistas contou com cinco convidados: Darin Sucka, Laurent Rezette, Mariana Corbetta, Wesley Martins e Nilton Muton.

 

A premiação foi dividida em cinco categorias elucidando a empresa que produz o chocolate, o chocolate e quem produz a amêndoa. Para vencer era necessário ter: equilíbrio entre cacau, acidez, adstringência e amargor e, de acordo com o professor Jesus Souza, da Ufpa, os chocolates tiveram bom equilíbrio e notas de cacau. "O que chamou atenção foram as notas de frutado e floral apresentados nas amostras e tiveram características do chocolate impressionante, detalhou.

 

Veja os chocolates premiados:

1ª Categoria - Chocolate ao leite Amazônia (com amêndoas de origem amazônica)

1º lugar Chocolah, chocolate ao leite. Amêndoas da Camppax de São Félix de Xingu.

2º lugar Mojolo chocolate, chocolate ao leite cremoso. Amêndoas da fazenda Ouro Preto do Oeste, de Rondônia.

3º lugar  Cacauway, chocolate ao leite 30% e amêndoas da Copatrans, de Medicilândia.

 

 2ª Categoria chocolate ao leite para empresas paraenses

1º lugar: Cacauway. chocolate ao leite 50% e amêndoas da Copatrans.

2º lugar: Chocola k, chocolate 48% leite, amêndoas Olívio Trzeciak, de Medicilândia.

3º lugar: Cacau Brumen chocolate 50% ao leite, fornecedor das amêndoas José Renato Preuz.

 

3ª Categoria:  Produto inovação (produto feito pelo menos de 30% a 50% de amêndoas prioboma.

1º lugar: Casa Lasevicius chocolate. Especiaria amazônica a inovação. Fornecedor João Evangelista do Tuerê.

2º lugar: Ascurra chocolate, chocolate 35% branco com cumaru. Manteiga de cacau fornecida pela Gencau.

3º lugar: Chocolah, chocolate ao leite recheado com coco, produtor de Amêndoas da Canpax de São Félix do Xingu

 

 4ª Categoria: Produto inovação intenso

1º lugar: Nayah sabores da Amazônia, chocolate fino intenso 78% com jambu. E fornecedor das amêndoas Copercau Tuerê.

2º lugar: Casa Lacevicius chocolates. Fermentado com jenipapo o
 

5ª Categoria: Chocolate intenso Amazônia

1º lugar: Casa Lasevicius, Produtor terrua Tocantins e amêndoas de Mocajuba

2º lugar: Nicolas chocolate do belga. Produtos terrua Tuerê 72% e fornecedor Waldemir

3º lugar: Mojolo, chocolate produtor intenso 70% cacau do Tuerê. Amêndoa do João Evangelista, do Tuerê.

 

 6ª Categoria: Chocolate intenso Pará

1º lugar: Cacauway chocolate intenso 70%, Copatrans fornecedora de amêndoas.

2º lugar: Chocolak ,chocolate suave 60%, amêndoa de Olívio Trzeciak, de Medicilândia

º3 lugar: Uarau, chocolate 62% Uruará da cocoa. Amêndoa Raimundo Silva de Uruará.cacau. Amêndoas de João Evangelista, do Tuereê.

3º lugar: Nicolas, chocolate do belga, com o produto ilhas Cametá e chocolate intenso com açaí.  Amêndoas do Senhor Ajax Marcos Pantoja, de Cametá.