Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
06/01/2022 - 10:15

 

Por: Paulo Garcia - SEAC

Fotos: Marco Santos, Alex Ribeiro, Bruno Cecim, Rodrigo Pinheiro, Marcelo Seabra, Jader Paes - Ag Pará

 

Mais de 150 mil beneficiamentos foram realizados nos sete bairros da Região Metropolitana de Belém atendidos pelo Programa Territórios Pela Paz (TerPaz), fechando 2021 com uma série de serviços oferecidos pelo Governo do Pará.

 

 

Os projetos foram adaptados à realidade imposta pela pandemia, a fim de levar mais qualidade de vida às famílias dos sete bairros, seja com a entrega de 8 mil cestas de alimentos, atendimento especializado para sintomas leves e moderados da Covid-19 ou a realização de testes e encaminhamento de casos graves, durante as ações do “Ter Saúde”, ação desenvolvida no âmbito do TerPaz.

 

 

Aos 70 anos, Maria Santos foi uma das pessoas atendidas. "Foi em março, no auge da segunda onda, fiquei sabendo da ação de saúde e fui me consultar. O atendimento que recebi foi muito bom, tanto para mim quanto para as minhas filhas, que também foram atendidas. Como eu estava apresentando alguns sintomas, foi feito o exame RT-PCR. As pessoas me receberam com muita atenção, tudo muito organizado e sem demora", relatou.

 

Segundo o levantamento realizado pelo Núcleo de Relações Institucionais da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), órgão responsável por coordenador o TerPaz, foi realizado , de janeiro a novembro de 2021, 151.113 procedimentos nos bairros atendidos pelo programa com as ações itinerantes em escolas públicas, delegacias, centros comunitários e instituições parceiras.

 

Inclusão - Ainda na área da saúde, outra atividade de destaque foi a entrega de cadeiras de rodas. Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), foram entregues a Pessoas com Deficiência (PCDs) que moram nos bairros do TerPaz cadeiras de rodas, cadeiras de banho, banhitas e carrinhos, que facilitam a locomoção e as tarefas do dia a dia.

 

 

O estudante Bruno Henrique, 25 anos, se cadastrou na ação e foi um dos beneficiados. “Eu recebi uma cadeira de rodas e cadeira de banho. É muito gratificante receber um equipamento desse, novinho. A minha estava muito velha, e eu não tinha condições de comprar uma nova. Eu participei da ação de saúde e, logo em seguida, recebi a cadeira”, contou.

 

Capacitação - Um dos pilares do TerPaz é a oferta de cursos, oficinas e palestras, programação mantida durante o ano. Com o apoio das secretarias e instituições parceiras, os moradores continuaram recebendo diversos projetos, como “Menina, à Mulher”, “Cartografia Participativa”, “Projeto Recomeçar” e “Ter Conhecimento”, coordenados pela Seac; “Cenas de Paz”, pela Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa); “Ela Pode”, “Meu Endereço” e “Mapas Digitais”, ambos pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet); “Detran nas Escolas”, pelo Departamento de Trânsito (Detran); “Minha Escola Meu Refúgio”, coordenado pelas secretarias de Estado de Educação (Seduc) e de Segurança Pública e Defesa Social (Segup); “Empodera”, pelo Banco do Estado do Pará (Banpará); “Que Nem Maré”, “Escolinha de Futebol” e “Música Pela Paz”, além do Curso de Pintor de Obras, todos pela Seduc.

 

 

Também foram realizadas ações dos projetos “Asa Verde” e “Cantinho Verde”, coordenados pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap); “Economia Doméstica”, “Formação de Agentes Ambientais” e “Agenda Ambiental”, pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas); Curso de Agente Multiplicador em Educação no Trânsito, pelo Detran; Oficinas de Fotografia e Comunicação Comunitária, pela Secretaria de Estado de Comunicação (Secom); Educação Fiscal, pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), e de Biojoias, pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme).

 

A moradora Elda Costa, 42 anos, se capacitou por meio do Projeto “De Menina, à Mulher”. Segundo ela, “participar desse projeto, para mim, significou buscar independência financeira. Eu participei do Curso de Confecção de Bolsas e foi muito importante. Foi uma forma de aprender diversas técnicas de confecção, e ganhar dinheiro. Eu não estava trabalhando, mas com esse conhecimento adquirido nesse projeto comecei a empreender”, contou a moradora.

 

Documentos e emprego - Considerada uma das maiores demandas do TerPaz, as ações de emissão de documentos são as mais procuradas nos bairros. O serviço tem a parceria da Polícia Civil, para emissão de carteira de identidade, e da ação “Meu Registro”, para certidões de nascimento e óbito, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

 

 

A doméstica Maria de Jesus Marques, 55 anos, participou de uma das ações de emissão de documentos. “Eu consegui a segunda via da certidão de nascimento. Essa ação está ajudando muito a comunidade, inclusive eu, que estou desempregada e não tinha condições de pagar por esse serviço”, disse Maria.

 

A Seaster também promove a ação Cadastro de Emprego, oferecendo aos moradores cadastro para trabalho e consulta à vaga de emprego. Aldry Notargiacomo, 18 anos, procurou a ação em busca de acesso ao mercado de trabalho. “Terminei o ensino médio recentemente e fui procurar uma vaga. Eu já fiz capacitação em enfermagem, em auxiliar em farmácia, assistente de saúde bucal e informática básica. Então, qualquer vaga nessa área seria bom”, informou Aldry.

 

 

Usina da Paz – O ano de 2021 foi marcado pela entrega da primeira unidade do complexo comunitário Usina da Paz (UsiPaz), um projeto do governo do Estado integrado ao TerPaz que oferece a permanência dos serviços do Estado nos territórios. A Usina da Paz Icuí-Guajará, em Ananindeua, já está em funcionamento desde o mês de outubro, ofertando diversas atividades de cultura, esporte e lazer, e cursos que abrem o acesso à cidadania.

 

A moradora Eloide Paiva, 45 anos, aproveitou os serviços da Usina da Paz e conseguiu seu RG e dos filhos. Além disso, uma das filhas está fazendo o Curso de Corte e Costura. “Essa Usina da Paz foi uma bênção nas nossas vidas. Consegui tirar os nossos documentos aqui no bairro; não foi preciso ir para longe. E minha filha está muito feliz porque está fazendo o Curso de Corte e Costura. É muito bom esse espaço”, afirmou.

 

 

São ofertados mais de 80 serviços gratuitos na UsiPaz, executados por órgãos e entidades parceiras do Estado, como espaços para atividades esportivas; salas de audiovisual e inclusão digital; atendimento médico e odontológico; consultoria jurídica; emissão de documentos; ações de segurança; capacitação técnica e profissionalizante, e espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade. Também há estrutura adequada para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca. A Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) oferece sinal de Wi-Fi gratuito para visitantes da Usina da Paz.

 

Segundo a gerência da Usina da Paz Icuí-Guajará, o equipamento público realizou, em apenas 40 dias de funcionamento, 19.429 atendimentos.

 

Carretas – O calendário anual do Programa TerPaz incluiu o Projeto “TerPaz, Formação Profissional”, para facilitar o acesso à formação profissional tecnológica, oferecendo qualificação aos jovens e adultos moradores de outras regiões de abrangência do TerPaz, visando à entrada ou ao retorno ao mercado de trabalho, por meio de cursos itinerantes.

 

 

O Programa também já dispõe de quatro carretas, que levarão diversos cursos e atendimentos nas áreas da gastronomia, saúde, refrigeração e informática.

 

Resultados - Para o titular da Seac, Ricardo Balestreri, 2021 foi um ano desafiador, mas com muitos resultados positivos. “Esse é um trabalho que congrega 36 secretarias e órgãos do governo, e com uma procura enorme, principalmente neste ano que ainda fomos atingidos pela pandemia de Covid-19, mas com uma grande diferença: agora o TerPaz já está enraizado, as pessoas procuram esses serviços, notadamente com a chegada da Usina da Paz”, disse o secretário.

 

Ainda segundo Ricardo Balestreri, “nós estamos chegando à história de vida dessas pessoas com um Estado que está presente e que ocupa esse espaço. Esse é o nosso papel. Realizamos não só atendimento. Nós trabalhamos com valores, educação, solidariedade e respeito. Todas as atividades do TerPaz, das Usinas da Paz e, em breve, com as carretas, têm caráter educativo. Para formar pessoas a serem melhores, nas relações interpessoais, e é com esse intuito que vamos continuar esse grande trabalho neste ano”.