Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
04/04/2019 - 13:15

A engenheira agrônoma Marcia Tagore, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), foi escolhida para coordenar o Fórum Técnico Estadual de Indicação Geográfica e Mostras Coletivas, juntamente com o vice coordenador Adriróseo Santos, da Superintendência Federal de Agricultura (SFA/Mapa). A secretária executiva será Julianna Saraiva, da Secretaria de Estado de Turismo (Setur).

 

Formado por 33 instituições governamentais e não governamentais, o Fórum foi criado em 2016 pela Setur, com o fim de propor diretrizes à implantação da Política Estadual de Indicação Geográfica. Em janeiro deste ano, o Pará teve a sua primeira Indicação de Procedência reconhecida por meio da Associação Cultural e de Fomento Agrícola de Tomé Açú (Acta), com a cultura do cacau.

 

O queijo do Marajó e a farinha de Bragança estão sob análise de reconhecimento no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Outros produtos paraenses já são estudados com possibilidade de serem reconhecidos como Indicação de Procedência e Denominação de Origem diante da biodiversidade e riqueza cultural de cada região.

 

A Indicação de Procedência é concedida a uma região ou localidade que se tornou conhecida por produzir determinado produto, como a cachaça de Paraty, no Rio de Janeiro. A Denominação de Origem reconhece as características resultantes da influência da localização geográfica, considerando fatores humanos e naturais, como a fabricação artesanal do queijo do Marajó, uma tradição que atravessa gerações.  

 

A Política Estadual de IG será usada como instrumento de desenvolvimento territorial, implementando uma nova estratégia competitiva de mercado para os produtos da Amazônia. Ela abre as portas do comércio nacional e internacional, agrega valor incentivando o turismo e a geração de emprego e renda, preserva o saber fazer e a identidade de cada região.

 

Leni Sampaio - Sedap