Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
11/10/2022 - 10:15

 

Rose Barbosa - Ascom Sedap

Fotos: Divulgação

 

Com visita a propriedades produtoras e à unidade demonstrativa de abacaxi, na agroindústria localizada no distrito de Condeixas, foi realizado nesta sexta-feira (1º) o Dia de Campo no município de Salvaterra, no Arquipélago do Marajó. A ação encerrou a programação alusiva ao Programa de Transferência e Difusão da Produção Integrada de Abacaxi no Estado do Pará (PI Abacaxi), desenvolvido em parceria pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

 

Durante o evento no campo, um grupo de técnicos e produtores recebeu orientações sobre a produção de abacaxi integrada. As informações foram repassadas pelo professor e pesquisador AristótelesPires de Matos, engenheiro agrônomo da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e PhD em Fitopatologia, considerado um dos maiores especialistas do planeta em abacaxi e consultor do Projeto PI Abacaxi. Técnicos da Emater, Sedap e Adepará (Agência de Defesa Agropecuária) também repassaram conhecimentos aos participantes.

 

Resultados - Aristóteles Pires destacou que a produção do abacaxi integrado em Salvaterra já mostra resultados positivos, como o aumento na produção e redução do uso de produtos químicos, além de melhoria no manejo. "Foi uma evolução grande na produção. A mudança mais significativa que eu achei é que eles faziam roçagem com terçado, e agora usam roçadeira postal, cuja eficiência é bem melhor", observou o especialista.

 

 

Combate a pragas - A adoção de boas práticas agrícolas, ressaltou o engenheiro agrônomo, otimizou as ações do projeto. "Na produção integrada a gente faz inspeções mensais e semanais na parte da frutificação, e identifica o foco. Se for pequeno, a gente não aplica nada; se for grande, a gente erradica a planta doente e aplica nas vizinhas, para segurar a disseminação da praga na região", ensinou Aristóteles Pires.

 

O produtor Rosenilson Teixeira de Matos, que há mais de 30 anos trabalha como agricultor familiar produzindo abacaxi, aceitou o desafio de trabalhar com o modelo integrado. Dono de um terreno com 22 hectares, onde cultiva 50 mil unidades de abacaxi, ele disse que recomenda aos outros produtores seguir as orientações dos técnicos. Rosenilson cedeu uma parte da propriedade familiar para a unidade demonstrativa de irrigação, e lembrou que os equipamentos foram repassados pela Sedap.

 

Agroindústria - A equipe também visitou a agroindústria da Cooperativa de Agricultores Familiares de Salvaterra (Cafas), instalada na Vila de Condeixas - projeto apoiado pela Sedap por meio da cessão de equipamentos para o processamento de fruta. O gerente de Fruticultura da Sedap, GeraldoTavares, explicou que a Secretaria entregou toda a estrutura necessária para viabilizar o despolpamento e acondicionamento das frutas processadas. "Entre os equipamentos estão dosador, mesas de seleção, despolpadeira, fogões e freezer", informou o gerente.

 

 

Integrante da Cafas há três anos, Lúcia Andrea da Conceição, que produz abacaxi e coleta andiroba, disse que sua produção melhorou com o sistema integrado. "Em 20 anos, posso dizer que essa foi a melhor safra de abacaxi", informou a agricultora familiar, ao mostrar dois frutos maduros de sua plantação, cada um pesando dois quilos.

 

A agroindústria da Cafas recebeu o Título de Renovação de Autorização da Adepará, que autoriza a fabricação de conservas de frutas.