Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
04/04/2019 - 13:45

O Pará é o Estado mais esperado no Chocolat São Paulo 2019, o Festival internacional de Chocolate e Cacau que será realizado de 12 a 14 deste mês na capital paulista. O evento, um dos mais importantes do agronegócio, cultura, turismo e gastronomia do país, é realizado desde 2009 em Ilhéus, na Bahia e desde 2013 em Belém. A primeira edição de São Paulo vai contar com marcas e produtos de diferentes regiões do Brasil, em especial do chocolate de origem paraense, divulgando a Amazônia como destino turístico e região produtora de cacau e chocolate de qualidade.

 

O Pará vai participar com a missão comercial formada por 12 cacauicultores das cinco regiões produtoras de cacau e fabricantes de chocolate; e representantes das secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Agropecuário e da Pesca (Sedap) e de Turismo (Setur), da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira, (Ceplac) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A missão vai divulgar o Pará como maior produtor de cacau do país e como destino de negócio e turismo na Amazônia para atrair novos investimentos e alavancar a produção paraense de chocolate.

 

O estande do Pará vai expor as cinco marcas paraenses de chocolate fino e de origem, amêndoas e subprodutos do cacau, como geleias e licor. Será a vitrine que mostrará o Estado como a maior alternativa para produção mundial de cacau, pelo conjunto de suas potencialidades: a produtividade de 930 quilos por hectare é a maior do mundo, o crescimento anual da produção de 15% é o maior do Brasil e se mantém em primeiro lugar no hanking da produção brasileira, com 131.582 toneladas em 2018. Possui o maior banco de germoplasma do mundo, com 55 mil plantas e 20 mil genótipos diferentes, material genético requisitado por todos os países produtores.

 

O Chocolat São Paulo será no Pavilhão da Bienal do Parque Ibirapuera, com a participação de especialistas nacionais e internacionais para discutir as tendências do setor chocolateiro mundial, exposição de novas marcas, tecnologia e gastronomia em workshops, fórum, debates e cursos. Cerca de duas mil pessoas serão capacitadas nas oficinas tecnológicas e gastronômicas.

 

Leni Sampaio - Sedap